Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Bandeira Branca

por Roberta Parizotto Última modificação 2021-04-15T18:05:41+00:00
Reflexões - Pastoral Universitária

Assistindo uma série na Netflix sobre piratas, me deparei com uma história repleta de sonhos, aventuras e desventuras de homens e algumas mulheres em suas embarcações.

Entre cenas de guerras em alto mar ou em terra, mortes, vitórias e fracassos, uma cena chamou minha atenção.

Como em toda guerra, quando um grupo de piratas se via vencido, com expressão de tristeza e esgotamento, eles levantavam uma bandeira branca como sinal de rendição. Então, nas mãos dos adversários, eram submetidos a torturas ou assassinados, outros eram presos e posteriormente condenados; era o fim.

A imagem da bandeira branca e a entrega me faz recordar do quanto lutamos em nossa vida. Tentamos controlar nossa embarcação no grande mar, sofremos derrotas e muitas vezes nos sentimos vencidos. Mas diante de nós está alguém especial, que não conseguimos ver com nossos olhos, mas a Ele, podemos nos render sem medo.

“Não há absolutamente ninguém comparável a ti, ó Senhor; tu és grande e grande é o poder do teu nome.”

Jeremias 10:6

Diante de Deus podemos levantar "bandeira branca" como sinal de rendição, como quem diz: está bem! Você é maior e mais poderoso do que eu, agora minha vida está em Tuas mãos, faça dela o que desejar.

Ao contrário das lutas entre piratas e seus inimigos, a rendição a Deus nos acalma, trazendo paz ao coração e à mente.

Muitas vezes, lutamos com a vida empunhando espadas, dando e recebendo golpes, até nos sentirmos esgotados, mas Deus está à nossa frente com Seu poder, amor e infinita misericórdia.

Precisamos apenas levantar a "bandeira" e nos render à Sua vontade soberana. Quando agimos assim, a tempestade no mar pode até continuar, mas mudamos de posição, pois já não lutamos sozinhos, estamos na grande embarcação dirigida por Deus, onde não há temor, há paz, pois sabemos que Ele está no controle e Ele é Deus!

Então, nessa loucura toda que estamos vivendo, com ataques por todos os lados, pare de lutar, achegue-se à grande embarcação dirigida pelo Senhor dos Senhores, renda-se e assim receba a paz que excede todo entendimento.                                                   

Elaine Cezar da Silva

Pastoral Escolar e Universitária

 

Este texto encontra-se também em Podcast. Acesse: 

Reportar Erros