Perguntas abrem portas

Reflexões - Pastoral Universitária

Errais, não conhecendo as Escrituras, nem o poder de Deus.

Mateus 22:29

Estamos em uma passagem que mostra os saduceus elaborando uma pergunta para contestar Jesus sobre o tema Ressurreição.

E para isto, eles usam todo o conhecimento que tinham segundo o que acreditavam.

O que alegavam era que se um homem, que tinha sete irmãos, casado, morresse e deixasse a esposa sem filhos, pela lei mosaica, um dos irmãos deveria casar com a viúva e ter filhos com ela, para que não ficasse desamparada.

O problema é que um a um, os irmãos foram morrendo, sem conseguir ter filhos com ela.

E a pergunta era: na ressurreição, de quem ela seria esposa?

Então Jesus responde com o versículo citado: “errais, não conhecendo as Escrituras, nem o poder de Deus”.

O ato de perguntar é uma bênção, pois se estamos formulando uma pergunta é porque o assunto que estamos questionando nos chama a atenção.

E se conseguimos estruturar uma pergunta é porque conseguimos entender o assunto de interesse, e estamos buscando aprofundar o nosso entendimento.

Neste caso, a pergunta pode até ser vista como uma ação capciosa dos saduceus para demonstrar a incoerência da pregação de Jesus.

Mas quero olhar para os saduceus como pessoas que sinceramente discordavam de Jesus, pois foram criados dentro da religião judaica e entendiam que seus pressupostos estavam corretos.

Logo, Jesus não poderia estar certo, era um impostor.

Cabia a eles abrir os olhos do povo.

Mas a resposta de Jesus é simples; clara e sem rodeios.

Em outras palavras Jesus disse: e erro de vocês está em não conhecer a Deus nem às Escrituras.

A palavra conhecer significa, saber junto. Para saber é preciso estar junto.

Uma pergunta, ao ser feita, se é para esclarecer alguma dúvida, é preciso estar disposto a caminhar junto.

Muitas vezes queremos respostas prontas, rápidas e que solucionem nossos problemas.

Em um mundo tão competitivo e individualista que temos, não é difícil nos sentirmos impelidos a construir uma sociedade onde o outro é visto com desconfiança.

Não podemos ser ingênuos neste mundo, mas ainda há espaço para o companheirismo?

Se conhecermos a Deus, sempre haverá em nós um olhar de atenção para o outro.

Que Deus continue nos abençoando.

Pastor Hércules Andrade de Araújo

Este texto encontra-se também em Podcast. Acesse: 

 

Reportar Erros

X